O exército israelense anunciou neste domingo que destruiu um túnel escavado pelo Hamas, o movimento islâmico palestino que controla a Faixa de Gaza, para se infiltrar em Israel.

A destruição da galeria subterrânea se deu por meio de bombardeios, indicou o exército.

Este tipo de túnel serviu para realizar ataques durante a última guerra de Israel na Faixa de Gaza em 2014, durante a qual cerca de 30 passagens subterrâneas foram descobertas e destruídas.

O porta-voz do exército, Jonathan Conricus, disse ignorar se essa última demolição havia causado vítimas.

A galeria estava sendo construída e foi destruída no sábado, de acordo com a mesma fonte. Passava abaixo do posto de verificação de Kerem Shalom, por onde transitam as mercadorias entre Israel e o enclave palestino, bem como tubulações de gás e gasolina.

Segundo o porta-voz, a aviação realizou o ataque no sábado à noite e o exército usou outros meios que não foram divulgados. O bombardeio ocorreu na Faixa de Gaza, e os outros meios foram aplicados na parte israelense da passagem.

O túnel começava na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, e se estendia por 180 metros em território israelense para continuar no Egito.

De acordo com Shalom, o dispositivo de destruição foi coordenado com o Egito.

O túnel media aproximadamente um quilômetro e meio.

Israel afirmou que desenvolveu novos meios tecnológicos para detectar e destruir este tipo de passagem subterrânea.

Também está construindo uma parede subterrânea ao longo da fronteira. Esta é a terceira demolição de túnel desde o final de outubro.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história