Ministro Carlos Marun defende reforma da Previdência em reunião na Fiesc Fernando Willadino/Fiesc

Foto: Fernando Willadino / Fiesc

O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun, esteve nesta sexta-feira na Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis. Convidado pela Fiesc, ele participou de reuniões com lideranças empresariais e defendeu a reforma da Previdência, pedindo que os empresários cobrem os deputados do Estado para votarem a favor do projeto.

Primeiro, ele participou de um encontro fechado com lideranças, em que falou sobre a reforma e a situação macroeconômica do país. Depois, fez uma breve fala na reunião de diretoria da Fiesc. Defendeu a necessidade das mudanças na Previdência e afirmou que não há "plano B".

— Vai entrar em pauta no mês de fevereiro. Precisamos aprovar na Câmara dos Deputados ainda em fevereiro e o presidente Rodrigo Maia (DEM) está imbuído desse objetivo. Vamos pautar, votar e vencer em fevereiro. Não existe plano B — declarou.

Presidente da Fiesc, Glauco José Côrte destacou que o tema é complexo e que ocorreram falhas de comunicação do governo federal no início do debate, mas considerou que os esclarecimentos estão sendo feitos e que a reforma é urgente para garantir a estabilidade econômica no futuro.

— A reforma dá continuidade a medidas que o governo vêm tomando para modernizar o ambiente institucional e buscar equilíbrio fiscal no país. Nós temos que reformar hoje para garantir o recebimento do benefício depois, senão o governo terá dificuldades de manter o atual sistema previdenciário — avaliou.

A expectativa do governo Temer e da base aliada no Congresso é de que a reforma seja votada na Câmara em fevereiro, mas o Planalto ainda não tem os votos necessários para a aprovação. Marun deve percorrer mais estados até o fim do recesso parlamentar, em 5 de fevereiro.

Leia todas as notícias do Diário Catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história