Dois russos extraditados da Holanda para os Estados Unidos foram condenados a duras penas de prisão por um juiz americano em um caso de pirataria de serviços de pagamento on-line, anunciou nesta quinta-feira (15) o Departamento de Justiça (DoJ).

Vladimir Drinkman, de 37 anos, que já havia se declarado culpado ante um tribunal de Nova Jersey em setembro de 2015, foi condenado a 12 anos de prisão. Um de seus assistentes, Dimitri Smilianets, de 34 anos, preso em 2012 na Holanda ao mesmo tempo que Drinkman foi extraditado, e condenado a 51 meses e 21 dias de prisão.

Durante o julgamento, a Promotoria afirmou que este ataque representou "a maior ação de pirataria informática internacional já julgada pela Justiça americana" e que provocou "milhões de dólares em perdas".

Drinkman e seus cúmplices são acusados de terem atacado a Bolsa eletrônica americana Nasdaq e distribuidores como 7-Eleven, Carrefour, JC Penney, que no total perderam mais de 300 milhões de dólares entre 2005 e 2012. Os hackers teriam obtido 160 milhões de dados de cartões de crédito, que depois revenderam no mercado negro pela Internet.

A maior operação afetou a Heartland, uma importante empresa de pagamentos on-line, da qual furtaram 130 milhões de números de cartões de crédito. Isso provocou mais de 200 milhões de dólares em perdas.

Três dos cinco hackers ainda estão foragidos. Trata-se de Alexandre Kalinin, Mikhail Ritikov e Roman Kotov, detalhou o DoJ.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história