Duas em cada três praias catarinenses estão próprias para banho, segundo a Fatma Cristiano Estrela/Diário Catarinense

Florianópolis é a cidade que concentra o maior número de locais analisados, com 42 dos 75 pontos considerados próprios

Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense

O último relatório de balneabilidade das praias catarinenses divulgado nesta temporada pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma) constatou que 147 pontos, cerca de 68,4% dos locais analisados, estão próprios para banho. O cenário é pior que o da semana passada, quando o percentual era de 70,2%, mas muito melhor do que o registrado no auge do verão.

Florianópolis é a cidade que concentra o maior número de locais examinados, com 42 dos 75 pontos considerados próprios para banho, equivalente a 56%. A praia de Canasvieiras, que durante boa parte da temporada teve todos os pontos impróprios, agora tem cinco dos oito pontos (62,2%) com boas condições de balneabilidade. Em Jurerê, cinco dos seis locais (83,3%) estão próprios para banho, enquanto na praia dos Ingleses são cinco dos sete pontos (71,4%) com balneabilidade. 

Entre os 27 municípios analisados, dez têm todos os locais com boas condições de balneabilidade:  Araranguá, Balneário Gaivota, Biguaçu, Imbituba, Itajaí, Itapoá, Jaguaruna, Laguna, Piçarras e São Francisco do Sul. Outros seis — Balneário Arroio do Silva, Balneário Barra do Sul, Garopaba, Laguna, Palhoça e Passos de Torres — quase entram na estatística, pois têm somente um ponto impróprio e ao menos um local próprio.

Apenas cinco das 27 cidades não tem mais da metade dos pontos analisados com boas condições de balneabilidade. Em três casos apenas metade dos pontos estão próprios: Itapema, com oito pontos analisados, Navegantes, com quatro, e Passo de Torres, com dois. Duas cidades têm apenas um ponto analisado, o qual é impróprio: Joinville e São José.

Janeiro teve o pior resultado das últimas cinco temporadas

Apesar de fechar o ano com duas entre três praias com boas condições de balneabilidade, em janeiro o panorama era muito diferente. O relatório da Fatma de 26 de janeiro de 2018 apresentava que apenas 43,7% das praias catarinenses estavam próprias para banho, o pior resultado nas últimas cinco temporadas. Na época, a situação de Florianópolis era tão crítica que todos os pontos das praias de Canasvieiras, Ponta das Canas e Cachoeira do Bom Jesus estavam impróprios.

Entenda como é feita a análise da Fatma

A Fatma segue as normas da Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Dessa maneira, é levado em consideração o conjunto das últimas cinco análises. Para que um ponto seja considerado impróprio, duas dessas cinco análises precisam ter resultados negativos — com mais de 800 coliformes por 100 mililitros de água. Outra possibilidade de o ponto não estar banhável é se em apenas uma coleta forem localizados mais de 2 mil coliformes por 100 mililitros de água. 

Leia mais

Prova Real: até onde a água da baía Norte é poluída?

Pontos de SC têm risco de deslizamentos após chuva intensa na quinta

Cachorrinha é resgatada após ficar 18 horas soterrada no Sul de SC

 Veja também
 
 Comente essa história