Paul Manafort, ex-chefe de campanha do presidente Donald Trump, se declarou inocente das acusações de fraude bancária e fiscal, no processo dirigido pelo procurador-especial Robert Mueller para determinar se houve ingerência russa nas eleições de 2016.

Manafort - que respondeu a um segundo pacote de acusações - solicitou um julgamento com jurados no tribunal federal de Alexandria, na Virgínia, marcado para o próximo dia 10 de julho.

Em 28 de fevereiro, em um tribunal de Washington, Manafort também se declarou inocente de várias acusações, incluindo lavagem de dinheiro, lobby não declarado para um agente estrangeiro e falso testemunho.

Manafort, 68 anos, é acusado de lavar 75 milhões de dólares recebidos por seu trabalho para o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, entre 2006 e 2014.

A denúncia inicial, realizada em 30 de outubro, foi revisada após o antigo sócio de Manafort, Richard Gates, se declarar culpado e prometer cooperação.

Consultor político e internacional de Trump por longo tempo, Manafort se tornou chefe de sua campanha eleitoral em junho de 2016, tendo Gates como adjunto.

Manafort renunciou à direção da campanha após vir à tona seus vínculos com a Ucrânia, mas Gates permaneceu e trabalhou para Trump durante o período de transição após sua vitória, em novembro de 2016.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história