Prova Real checou as declarações de Temer em SC Leo Munhoz/Diário Catarinense

O presidente esteve em FLorianópolis na quarta-feira (16) para a abertura do 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic).

Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

Em passagem por Santa Catarina no último dia 16, Michel Temer (MDB) discursou para autoridades e participantes na abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), em Florianópolis. Durante a fala, ele destacou o crescimento da Petrobras e do PIB durante o seu governo, a geração de emprego na construção civil e o aumento das ações e  do patrimônio do Banco do Brasil. Confira abaixo as informações checadas pelo Prova Real


"A Petrobras recuperou-se enormemente, governador, ao longo desses dois anos. Os senhores sabem que há dois anos e meio, três anos, a Petrobras era desprezada até no cenário internacional. Hoje, ela voltou a ganhar credibilidade no cenário nacional e no cenário internacional. A ação cresceu enormemente, o patrimônio mais uma vez cresceu substancialmente. Aliás, neste trimestre a Petrobras teve um lucro de R$ 7 bilhões, o que não acontecia há muito tempo".

Michel Temer
Presidente da República,  em discurso na abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção, na quarta-feira (16), em Florianópolis. 

Exato, prova real, fact-checking
Foto: Artes DC / Artes DC

No início deste mês, a Petrobras anunciou ter registrado lucro líquido de R$ 6,961 bilhões (R$ 39 milhões a menos do que o falado pelo presidente) no primeiro trimestre do ano, alta de 56% em comparação ao mesmo período do ano passado e o melhor resultado dos últimos cinco anos para janeiro, fevereiro e março. No último ano consolidado, no entanto, a estatal amargou prejuízo líquido de R$ 446 milhões, mas ainda assim 97% menor do que o rombo registrado em 2016, R$ 14,8 bilhões.

As ações da Petrobras também se valorizaram neste ano, conforme análise dos dois principais papeis vendidos pela companhia nas bolsas de São Paulo e Nova Iorque. Na BM&F, a bolsa de valores de São Paulo, os papeis PETR3 estavam sendo cotados a R$ 30,15 na sexta-feira (18), quase três vezes o valor de 18 de maio de 2016, mês em que Temer assumiu como interino. O pico foi registrado no último dia 16, chegando a R$ 31,63, o mais alto desde abril de 2011.

Confira a cotação dos papéis PTR3:


Já o PETR4 estava cotado a R$ 25,65, 2,7 vezes maior do que em 18 de maio de 2016. O papel também atingiu recorde desde abril de 2011, chegando a R$ 27,39 no dia 16. 

Confira a cotação dos papeis PTR4:


Abaixo, a variação dos papéis PETR3 e PETR4: 


Já na New York Stock Exchange, o papel PBR era cotado ontem a US$ 16,12, com pico em US$ 17,14 no dia 16, maior índice desde 15 de outubro de 2014 – o pico das ações ocorreu em maio de 2008, portanto há 10 anos, vendidas a US$ 72. Já o PBRA era vendido nesta sexta às 13h a US$ 13,62, com pico no dia 16, de US$ 14,89, melhor marca desde outubro de 2014.

Temer também citou o crescimento do patrimônio da Petrobras, com certo exagero. Na prática, segundo balanço financeiro da companhia, o patrimônio líquido da companhia em 2018 é de R$ 271,96 bilhões, conforme dados do balanço do primeiro trimestre melhor índice desde 2014, quando registrou patrimônio líquido de R$ 308,8 bilhões. O resultado de 2018 já representa um crescimento de 8,6% no índice comparado a 2016, a pior marca do período, quando chegou a valer R$ 250 bilhões.



"Neste momento, o valor da ação (do Banco do Brasil) é de R$ 45 e o valor do patrimônio do Banco do Brasil é de R$ 125 bilhões."

Michel Temer,
sobre o crescimento dos papéis do Banco do Brasil. 

Não é bem assim, prova real, fact-checking
Foto: Artes DC / Artes DC

Na data da visita do presidente Michel Temer a Florianópolis (16/5), os papeis (BBAS3) do Banco do Brasil fecharam o dia sendo vendidos a R$ 34,47. A última vez que fechou o dia superando R$ 45 foi em maio de 2007, quando chegou a R$ 79. Na sexta-feira (18), a cotação média era de R$ 31,89.

Segundo o balanço do primeiro trimestre deste ano, o valor do patrimônio de referência do Banco do Brasil era de R$ 126,5 bilhões, portanto acima do declarado pelo presidente, com aumento de 2% em relação ao mesmo período de 2017. No entanto, ao comparar com o último trimestre de 2017, teve queda de 6,5%.


"Sem dúvida nenhuma, a construção civil é o setor que mais gera empregos no país."

Michel Temer,
sobre a geração de emprego no setor da construção civil, na abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção, na última quarta-feira, em Florianópolis.

Não fecha, prova real, fact-checking
Foto: Artes DC / Artes DC

Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que leva em consideração empregos formais com carteira assinada, a construção civil aparece em terceiro lugar na criação de postos de trabalho no país neste ano. Em primeiro aparece o setor de serviços, que entre admissões e desligamentos teve um saldo de 175.670 vagas em 2018. Já a construção civil registrou saldo de 21.209 no período. Se considerarmos os últimos 12 meses, o segmento teve o pior desempenho entre todos os setores da economia e fechou 64.119 vagas.Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Trimestral, divulgada pelo IBGE nesta semana (17/5), a construção civil também não aparece em primeiro lugar em número de empregados. 

De acordo com os dados, no primeiro trimestre deste ano o setor mantinha 6.556.000 trabalhadores, desempenho que coloca a construção na sexta posição, atrás do comércio, da indústria, da agricultura e de outros setores. Além disso, a pesquisa mostra ainda uma queda de 5,6% no número de trabalhadores ocupados em relação ao trimestre anterior e -4,1% frente ao mesmo período do ano passado.

Contraponto

A equipe do Prova Real enviou questionamentos à assessoria de imprensa da Presidência da República, mas até a noite de sexta-feira, não houve retorno. 

 

O Prova Real é a iniciativa de fact-checking e debunking da NSC Comunicação. Você também pode sugerir temas pelo e-mail provareal@somosnsc.com.br ou pelo WhatsApp (48) 99188-2253.

Confira todas as publicações do Prova Real

Leia outras checagens:

Conferimos o que foi dito pelo Sintrasem sobre o projeto Creche e Saúde Já

Checamos informações da Prefeitura da Capital sobre o projeto de OS

SC tem 100 tornozeleiras eletrônicas sendo usadas e 2 mil disponíveis. É verdade?


 Veja também
 
 Comente essa história