Três brasileiros foram condenados pelo juiz de audiência preliminar de Siracusa, no sul da Itália, por irregularidade em processos para obter cidadania e passaporte italianos. Todos trabalhavam em uma assessoria na cidade de Augusta, na Sicília. Cleber Zanatta terá pena de seis ano e oito meses, sua espoa, Sabrina dos Santos, três anos e quatro meses, e seu irmão, Diego Zanatta, quatro anos de cadeia. As informações são da Agência Italiana de Notícias (Ansa-Brasil). 

De acordo com a acusação, os três ajudaram cerca de 500 brasileiros a obterem a cidadania italiana de maneira ilícita. Segundo a denúncia, os irmãos pagavam a funcionários públicos algumas centenas de euros por processo, para facilitar o procedimento. 

Além dos brasileiros, também foram condenados três funcionários públicos italianos. As sentenças apontaram crimes de corrupção e favorecimento à permanência ilegal de cidadãos estrangeiros em território italiano. 

A Itália tem fechado o cerco a quem faz esse tipo de procedimento ilegalmente — e a quem se beneficia dele. Em 2017, o município de Ospedaletto Lodigiano, situado na região da Lombardia, no norte da Itália, divulgou uma lista de 899 brasileiros que tiveram a cidadania italiana cancelada. Na listagem, havia nomes de pessoas naturais de Porto Alegre.

Em abril, o Consulado Italiano em Porto Alegre fez um apelo no Facebook, pedindo que os descendentes não fossem à Itália fazer a cidadania:

Leia mais notícias no Diário Catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história