O governo minoritário do primeiro-ministro tcheco, Andrej Babis, obteve nesta quinta-feira um voto de confiança do Parlamento, graças ao apoio dos comunistas.

Trata-se do primeiro governo a assumir o poder na República Tcheca com o apoio do Partido Comunista desde a queda da Cortina de Ferro.

"O Parlamento deu sua confiança ao gabinete", declarou o presidente da Assembleia, Radek Vondracek, após uma sessão que durou mais de 16 horas.

Um total de 105 deputados dos 196 presentes apoiaram o governo minoritário de Babis, e 91 se manifestaram contra.

Babis necessitou de nove meses para conseguir formar um governo após a vitória de seu movimento - ANO - nas eleições de outubro passado, já que alguns aliados potenciais se afastaram por seu passado obscuro e por acusações de fraude envolvendo subvenções da União Europeia.

Finalmente, em junho obteve um acordo para formar a coalizão com os social democratas, reunindo apenas 93 das 200 cadeiras do Parlamento, e precisava do apoio do Partido Comunista, com 15 deputados.

Os comunistas, abertamente pró-Rússia e contra a Otan, prometeram apoiar Babis em troca de cargos nas estatais, o que lhes dará um papel no governo, mesmo que de maneira informal, algo inédito desde a queda do regime comunista na antiga Tchecoslováquia.

"Esta situação é completamente nova, uma mudança", disse à AFP Tomas Lebeda, analista político da Universidade de Palacky, em Olomouc (leste). "Mas não é uma revolução. Os comunistas já têm experiência neste tipo de apoio e, inclusive, estão governando em nível regional e municipal".

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história