Eleições 2018: confira os números da pesquisa Ibope na corrida pelo governo de SC e presidência Montagem/Diário Catarinense

Foto: Montagem / Diário Catarinense

Uma disputa com mais da metade do eleitorado sem ter um candidato e muito equilibrada, com empate técnico entre os deputados federais Décio Lima (PT) e Mauro Mariani (MDB), marca o início da corrida eleitoral ao governo de Santa Catarina. Essas são as principais constatações da primeira pesquisa Ibope contratada pela NSC Comunicação nas Eleições 2018. O levantamento foi realizado entre 14 e 16 de agosto e tem margem de erro máxima de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Décio Lima foi citado por 16% dos entrevistados, enquanto Mariani foi o escolhido de 11%. O resultado é considerado empate técnico pelo Ibope, porque o petista pode oscilar entre 19% e 13% e o emedebista entre 14% e 8%. O terceiro colocado é Gelson Merisio (PSD), com 6%. Levando em conta a margem de erro, ele está em empate técnico com Mariani, já que pode oscilar entre 9% e 3%. Na sequência vêm Ângelo Castro (PCO), com 4%, Ingrid Assis (PSTU) e Portanova (Rede), ambos com 2%, Comandante Moisés (PSL) e Jessé Pereira (Patriota), ambos com 1%, e Camasão (PSOL), que não atingiu 1%. Brancos e nulos somam 34% e outros 23% estão indecisos.

O Ibope apurou os índices de rejeição dos candidatos. Nesse quesito, Décio e Mariani novamente empatam, desta vez no limite da margem de erro. O petista foi rejeitado por 21% dos entrevistados e o emedebista por 15%. Camasão e Merisio foram citados negativamente por 12% dos eleitores pesquisados, sendo seguidos por Ingrid Assis com 11%, Ângelo Castro e Portanova, ambos com 10%, Jessé Pereira com 9% e Comandante Moisés com 8%.

Além dos números da corrida eleitoral, o instituto questionou os eleitores de Santa Catarina sobre a avaliação da administração estadual. O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que não concorre à reeleição, tem a gestão desaprovada por 43% dos entrevistados, contra 42% que aprovam. A administração do emedebista é considerada regular por 41%, contra 26% de ruim ou péssima e 23% de ótimo ou bom.

O Ibope pesquisou ainda a preferência dos eleitores para as duas vagas ao Senado que serão preenchidas nesta eleição. Na soma dos dois nomes citados, Raimundo Colombo (PSD) aparece com 27% dos votos, Esperidião Amin (PP) com 23% e Paulo Bauer (PSDB) com 19%. Pela margem de erro, Colombo e Amin estão tecnicamente empatados na liderança, e há também empate técnico entre Amin e Bauer na segunda posição.

No segundo pelotão estão Jorginho Mello (PR) com 8%, Ideli Salvatti (PT) com 7%, Roberto Luiz Salum (PMN) com 6%, Professor Antônio (PSOL) e Professor Pedro Cabral (PSOL), ambos com 5%, Andreá Luciano Carvalho (PCO) com 4%, Lucas Esmeraldino (PSL) com 3%, Lédio Rosa (PT) e Ricardo Lautert (PSTU), ambos com 2%, e Diego Mezzogiorno (Rede) e Miriam Prochnow (Rede), ambos com 1%. Brancos e nulos somam 38%, considerando as duas vagas, e 49% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

A pesquisa Ibope contratada pela NSC Comunicação também apurou as intenções de voto dos catarinenses para a Presidência da República.

Foram simulados dois cenários. No primeiro, com Lula (PT), há um empate técnico na primeira posição no limite da margem de erro. Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 26% da preferência do eleitorado, contra 20% do petista. O segundo pelotão tem Marina Silva (Rede) com 7%, Alvaro Dias (Podemos) e Geraldo Alckmin (PSDB), ambos com 6%, Ciro Gomes (PDT) com 5% e Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo), Vera (PSTU) e João Goulart Filho (PPL), todos com 1%. Eymael (DC) não alcançou 1% das intenções de voto. Brancos e nulos somam 15% e 8% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

No segundo cenário, com Fernando Haddad (PT) no lugar de Lula (PT), Bolsonaro tem 28% dos votos. Neste caso, seis candidatos estão empatados tecnicamente na segunda colocação, considerando a margem de erro de três pontos percentuais: Marina Silva com 9%, Ciro Gomes com 8%, Alckmin com 7%, Alvaro Dias com 6% e Haddad e Amoêdo, ambos com 3%. Meirelles aparece com 2% e Cabo Daciolo, Boulos, Vera e João Goulart Filho somam 1% cada. Eymael não atinge 1%, enquanto brancos e nulos chegam a 18% e 12% das pessoas ouvidas não souberam ou não quiseram responder.

Além dos números da corrida ao Planalto, o instituto questionou os eleitores de Santa Catarina sobre a avaliação da administração federal. O presidente Michel Temer (MDB) tem a gestão desaprovada por 90% dos entrevistados, contra 7% que aprovam. A administração do emedebista é considerada ruim ou péssima por 78% dos eleitores, contra 16% de regular e 5% de ótimo ou bom.

Ficha técnica da pesquisa

Período da pesquisa: 14 a 16 de agosto
Tamanho da amostra: 812 eleitores entrevistados em 46 municípios
Solicitante: NSC COMUNICAÇÃO
Margem de erro: máxima de 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Nível de confiança: 95%
Registro: no TRE-SC sob o número SC-09381/2018 e no TSE sob o número BR-09360/2018.

Leia também:

Confira quem são os candidatos ao governo de SC

Média de gasto por voto dos eleitos cresceu até 172% desde 2002 em SC

Eleição ao governo de SC fica polarizada em três candidatos

Moacir Pereira: confira os bastidores das eleições em SC

Upiara Boschi: análise do cenário político catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história