A mãe do bebê de um mês de idade, que morreu na madrugada de sexta-feira (24) após ser amamentado, deve ser indiciada por homicídio culposo, ou seja, sem intenção de matar.  O caso aconteceu em Chapecó. De acordo com o delegado da Divisão de Investigações Criminais, Wagner Pappini, a confirmação ou não de que o bebê morreu de asfixia, afogado com o leite materno após amamentação, depende ainda de laudo pericial do exame cadavérico. Mas é provável que a mãe seja indiciada pela morte do bebê.

- Ao que tudo indica ela será indiciada por homicídio  culposo, mas ainda há várias diligências a serem feitas. Seria homicídio culposo na modalidade negligência, ou seja ela violou um dever objetivo  de cuidado, que consiste na falta de precaução e por isso ocorreu o homicídio; ela não tinha consciência e vontade de matar mas como ela foi negligente, ela responde por homicídio culposo - afirmou o delegado, em caso de confirmação da responsabilidade.

Em caso de condenação a pena é de um a três anos de detenção.

De acordo com a NSC TV, por volta das 5h30min de sexta-feira, a mulher de 27 anos chegou ao Hospital Materno Infantil com o bebê já sem vida. Durante um procedimento de reanimação, a equipe médica constatou uma grande quantidade de leite saindo da boca do bebê, o que levantou a suspeita de asfixia por aleitamento materno. 

Ainda de acordo com a equipe médica, a mãe estava em visível estado de embriaguez, fato constatado pela polícia logo na chegada ao hospital. Ela inclusive foi internada por embriaguez.

Uma amiga da mãe do bebê, em depoimento para a polícia, contou que na noite anterior as duas foram para uma festa em uma casa noturna e que beberam uma garrafa de vodca. Depois disso, a mãe teria voltado para casa e tentado dar de mamar mesmo embriagada.

Leia mais notícias de Santa Catarina

 Veja também
 
 Comente essa história