Patriota lança Jessé Pereira como candidato ao governo de SC Patriota/Divulgação

Foto: Patriota / Divulgação

O Patriota anunciou nesta quinta-feira que terá candidato próprio ao governo de Santa Catarina. O escolhido foi o pastor evangélico Jessé Pereira, de Camboriú, tendo como vice o médico Danny César Gabriel de Oliveira Jumes, de Balneário Camboriú. Uma nova ata foi protocolada no Tribunal Regional Eleitoral catarinense (TRE-SC) confirmando os nomes na disputa, que agora conta com nove concorrentes.

Conforme o presidente do Patriota em SC, Ailson Barroso, a ata original da convenção do partido, protocolada em 5 de agosto, autorizava a Comissão Executiva Estadual a decidir sobre as coligações até a data limite estabelecida pela Justiça Eleitoral para registro de candidaturas, em 15 de agosto.

O compromisso inicial do Patriota era apenas de apoiar o candidato do PMN, Roberto Salum, ao Senado. Depois, tinha se definido que PMN e Patriota iriam coligar com o PSL, que lançou Carlos Moisés da Silva como candidato ao governo. Porém os partidos acabaram desistindo do acordo, e agora o PSL vai com chapa pura ao governo e Patriota e PMN mantiveram a coligação entre si, com Jesse Pereira na cabeça de chapa.

—  A executiva tinha autorização em ata para negociar. Estávamos conversando com partidos para a majoritária, mas como já estávamos fechados com o apoio ao PMN para o Senado, outras siglas não demonstraram interesse. Então achamos melhor lançar também para ter um nome novo, uma opção de mudança, de renovação — diz Barroso.

De acordo com o TRE-SC, o pedido de registro da candidatura pode ser feito normalmente até dia 15, por se tratar de uma questão técnica. Já questões que envolvam as atas e as eventuais mudanças feitas depois só serão avaliadas no momento do julgamento individual de cada solicitação.

O candidato

Natural de Camboriú, Jessé Pereira tem 38 anos e é acadêmico de Gestão Pública e presbítero da Assembleia de Deus desde 2011. Disputará pela primeira vez uma eleição, embora tenha a política presente na família; o irmão é vereador pelo MDB em Camboriú e o pai atuou em diversos partidos, sem nunca ter sido eleito.

Até março deste ano, Jessé trabalhava para a homologação do Partido Militar Brasileiro (PMBR) junto ao TSE, mas não foi possível cumprir todas as exigências no prazo para que a legenda pudesse disputar as eleições deste ano. Convidado pelo Patriota, se filiou ao partido em abril.

Leia também:

Média de gasto por voto dos eleitos cresceu até 172% desde 2002 em SC

Eleição ao governo de SC fica polarizada em três candidatos

Moacir Pereira: confira os bastidores das eleições em SC

Upiara Boschi: análise do cenário político catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história