Prova Real: checamos afirmações do candidato ao governo de SC pelo MDB, Mauro Mariani Betina Humeres/Diario Catarinense

Foto: Betina Humeres / Diario Catarinense

Candidato ao governo de Santa Catarina pelo MDB, o deputado federal Mauro Mariani foi entrevistado pela CBN nesta terça-feira, na sexta rodada de entrevistas com os concorrentes a governador nas eleições 2018, durante o programa Notícia na Manhã, com Mario Motta. O Prova Real verificou as declarações a seguir: 


 "A nota de Santa Catarina (IDEB), o ranking de Santa Catarina no ensino médio no Brasil, é o 14º do Brasil. Não condiz com a excelência de Santa Catarina." 


O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para o ensino médio da rede estadual apontou nota de 3,4 em 2015, último dado disponível. Nessa condição, o Estado aparece empatado com Ceará e Roraima na 12º colocação. Ao considerar a média geral de escolas (que incluem unidades públicas e privadas), SC sobe para a oitava posição, com média 3,8. 

Enquanto a média das escolas brasileiras estava estagnada em 3,7 (escala de 0 a 10) nos últimos três levantamentos (2011, 2013 e 2015), Santa Catarina apresentou em 2015 a segunda queda consecutiva, apesar de se manter pouco acima da média do país. O índice estadual caiu de 4 (em 2013) para 3,8 em 2015, mesma marca obtida por SC em 2005. 

O novo índice, com base em dados de 2017, deve ser divulgado pelo MEC nas próximas duas semanas. 

 "Nós temos 180 mil crianças em idade de ensino médio matriculadas na rede estadual, mas temos 64 mil fora da sala de aula".


A rede estadual tem atualmente 187.878 alunos matriculados no ensino médio, conforme informado por e-mail pela Secretaria de Estado da Educação, número aproximado do informado pelo candidato. 

Mas somente 21.619 jovens de 15 a 17 anos de idade (faixa referência para o ensino médio) não frequentavam a escola e não haviam concluído a educação básica no Estado em 2017, conforme o Relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação – 2018 (página 76).  

Foto:

Contraponto

A assessoria do candidato argumentou que Mariani se baseou nos dados divulgados em 2017 pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) e publicados pelos jornais da NSC Comunicação em 16 de agosto. O levantamento indicava que havia 64 mil crianças e adolescentes entre 4 a 17 anos fora do ambiente escolar em Santa Catarina em 2015 quando os dados haviam sido coletados. A estatística da PNAD, entretanto, não tem recorte específico para alunos em idade de cursar o ensino médio.

Esclarecimento

No dia 22 de agosto, o Prova Real checou afirmação semelhante do candidato do PT ao governo do Estado, Décio Lima. Mas na ocasião, ainda não dispunha dos dados apresentados pelo Relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação – 2018. A checagem de Décio Lima já foi atualizada. 

"R$ 400 milhões por mês são retirados do tesouro para pagar a aposentadoria e a Previdência do Estado"

De acordo com o Portal da Transparência do Governo do Estado, em todos os meses deste ano o valor gasto com a Previdência ficou acima de R$ 400 milhões (veja abaixo a lista mês a mês). O Prova Real calculou ainda o valor médio no período: R$ 450 milhões que também está acima do que foi mencionado pelo candidato. 

Contraponto

A assessoria do candidato não comentou o resultado da checagem.

 "A cidade que eu fui prefeito, Rio Negrinho, esse ano vai poder atender 95% do esgoto tratado"

Informativo da Prefeitura de Rio Negrinho, divulgado em abril, aponta que o município passou a contar com 94% de cobertura por rede e tratamento de esgoto após a inauguração do sistema de tratamento de esgoto da cidade.

Contraponto

A assessoria do candidato não comentou o resultado da checagem.

"A ineficiência dos 13 hospitais públicos de Santa Catarina, administrados pelo Estado, custou aos cofres de Santa Catarina R$ 671 milhões. A ineficiência, não o custo total"

O valor consta do relatório "Análise Econométrica da Eficiência dos Hospitais Estaduais de Santa Catarina", elaborado em 2017 pelo Tribunal de Contas do Estado, que faz referência a 2016. 

O texto diz que "pode-se afirmar que o custo da ineficiência relativa dos hospitais públicos é de aproximadamente R$ 671 milhões anuais em serviços, considerando os gastos e as produções de 2016” (pg 100). 

A estimativa do TCE/SC é apresentada como um possível ganho caso os hospitais públicos geridos diretamente pelo Estado tivessem a mesma eficiência na produção de serviços hospitalares que os de gestão realizada por organizações sociais em 2016. 

Foto:


Entrevistas na CBN Diário

Serão feitas até o dia 30, sempre a partir das 10h, durante o programa Notícia na Manhã, com Mario Motta. Confira a ordem dos entrevistados:

21/8, terça-feira – Carlos Moises da Silva (PSL) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL 

22/8, quarta-feira - Décio Lima (PT) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL 

23/8, quinta-feira – Gelson Merisio (PSD) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL

24/8, sexta-feira – Ingrid Assis (PSTU) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL

25/8, sábado – Jessé Pereira (Patriota) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL

27/8, segunda-feira – Leonel Camasão (PSOL) - VEJA AQUI A CHECAGEM DO PROVA REAL

28/8, terça-feira – Mauro Mariani (MDB)
29/8, quarta-feira – Rogério Portanova (Rede)
30/8, quinta-feira – Ângelo Castro (PCO)

O Prova Real é a iniciativa de fact-checking e debunking da NSC Comunicação. Você também pode sugerir temas pelo e-mail provareal@somosnsc.com.br ou pelo WhatsApp (48) 99188-2253. Confira mais checagens na nossa página. 

 Veja também
 
 Comente essa história