Papagaio estaria envolvido em ataques a carros-fortes e explosão de muro de penitenciária, diz polícia Divulgação/Polícia Militar de Agudos do Sul

Foto: Divulgação / Polícia Militar de Agudos do Sul

A Polícia Civil do Paraná acredita que Claudio Adriano Ribeiro, o Papagaio, esteja envolvido em pelo menos três crimes entre a tarde de segunda-feira (10) e a madrugada desta terça (11). Dois carros-fortes foram atacados nos municípios de Palmeira e Londrina e o muro da Penitenciária Estadual de Piraquara foi explodido. Nessa ocorrência, 28 detentos fugiram. 

Segundo o delegado Rodrigo Brown de Oliveira, chefe do Centro de Operações Policiais Especiais do Paraná (Cope), a suspeita é de que os dois ataques aos carros-fortes serviram para chamar a atenção da polícia. Com o efetivo voltado para essas ocorrências, o Presídio de Piraquara estaria desguarnecido para que tivesse o muro explodido. Para o delegado, Papagaio participou dos ataques aos carros-fortes, mas não do ataque ao presídio, mas todos os envolvidos fariam parte do mesmo grupo. 

Os carros-fortes foram atacados entre 15h e 16h. A prisão de Papagaio e mais três pessoas ocorreu no início da madrugada e o muro do presídio foi destruído às 3hrs da madrugada. Apesar da prisão do grupo ter ocorrido antes do ataque ao presídio, o delegado acredita que todos estejam envolvidos. 

—Nós trabalhamos com a hipótese de que todas as ocorrências estejam ligadas. Estamos agora tentando identificar o restante dos integrantes da quadrilha — disse o delegado do Paraná. 

Papagaio, dois homens e uma mulher, presos na madrugada desta terça-feira, foram autuados em flagrante pela posse dos explosivos e do armamento. A Polícia Civil vai pedir a prisão deles pela participação nos atos criminosos.

Leia mais notícias no Diário Catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história