Eleições 2018: confira os números da terceira pesquisa Ibope para o governo de SC e Presidência Marco Favero/Diário Catarinense

Foto: Marco Favero / Diário Catarinense

Uma disputa que continua indefinida, com empate técnico triplo na liderança entre o deputado federal Mauro Mariani (MDB), o deputado estadual Gelson Merisio (PSD) e o deputado federal Décio Lima (PT). Isso é o que mostra a terceira e última pesquisa Ibope para o governo de Santa Catarina, encomendada pela NSC Comunicação no primeiro turno das Eleições 2018. O levantamento foi realizado entre 3 e 5 de outubro e tem margem de erro máxima de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Mauro Mariani foi citado por 25% dos entrevistados, seguido por Merisio com 23% e Décio com 19%. O resultado é considerado empate técnico pelo Ibope porque o emedebista pode oscilar entre 28% e 22%, o pessedista entre 26% e 20% e o petista, entre 22% e 16%. Mariani e Décio empatam no limite da margem de erro. O quarto colocado é Comandante Moisés (PSL), com 9%. Na sequência vem Camasão (PSOL), com 2%. Ingrid Assis (PSTU), Portanova (Rede) e Jessé Pereira (Patriota) aparecem com 1% cada. Brancos e nulos somam 11% e outros 8% estão indecisos.


Levando em conta apenas os votos válidos, quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos, Mariani tem 31%, Merisio tem 29% e Décio aparece com 23%. Para ser eleito no primeiro turno, um candidato precisa superar os 50% dos votos válidos, que é o que os tribunais eleitorais consideram para os resultados oficiais da votação.

Em relação à pesquisa anterior, de agosto, Mariani, Merisio e Moisés tiveram crescimento nos votos totais, com o emedebista passando de 21% para 25%, o pessedista de 18% para 23% e o candidato do PSL indo de 4% para 9%. Décio oscilou dentro da margem de erro de 17% para 19% e Camasão de 1% para 2%. Ingrid, Portanova e Jessé mantiveram o mesmo índice, de 1% cada.

O Ibope também pesquisou três cenários de segundo turno. Num confronto entre Décio Lima e Gelson Merisio, o pessedista tem 40% dos votos totais, contra 30% do petista. Nos votos válidos, são 57% para Merisio e 43% para Décio. Na simulação com Décio e Mauro Mariani, o emedebista tem 43% contra 28% do petista. Considerando os votos válidos, são 61% para Mariani e 39% para Décio. No cenário com Merisio e Mariani, o emedebista soma 38% das intenções de votos e o pessedista, 33%. Nesta última simulação, portanto, há empate técnico considerando a margem de erro máxima de três pontos percentuais para mais ou para menos. Contando apenas votos válidos, são 54% para Mariani e 46% para Merisio.

Rejeição

O Ibope apurou também os índices de rejeição dos candidatos. Nesse quesito, Décio está isolado na frente com 26%. Depois, aparecem todos os candidatos empatados dentro da margem de erro: Ingrid com 14%, Mariani e Portanova com 13%, Camasão, Moisés e Merisio com 12% e Jessé com 11%. Entre os entrevistados, 8% afirmaram que poderiam votar em todos os candidatos e 32% não souberam ou não quiseram opinar. Nesta questão, era possível citar mais de um candidato, portanto os resultados somam mais de 100%.


Avaliação do governo estadual

Além dos números da corrida eleitoral, o instituto questionou os eleitores de Santa Catarina sobre a avaliação da administração estadual. O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que não concorre à reeleição, tem a gestão desaprovada por 42% dos entrevistados, contra 38% que aprovam. A administração do emedebista é considerada regular por 42%, contra 21% de ruim ou péssima e 22% de ótimo ou bom. Do total de entrevistados, 14% não souberam avaliar.


Vagas no Senado

O Ibope pesquisou ainda a preferência dos eleitores para as duas vagas ao Senado que serão preenchidas nesta eleição. Na soma dos dois nomes citados, Esperidião Amin (PP) oscilou positivamente de 30% para 32% e se mantém numericamente à frente. Na sequência vem Raimundo Colombo (PSD), que subiu de 27% para 31% dos votos. Pela margem de erro, Amin e Colombo estão tecnicamente empatados na liderança. Em terceiro está Paulo Bauer (PSDB), que caiu de 25% para 21%, seguido por Jorginho Mello (PR), que subiu de 13% para 19%. Neste cenário, há empate técnico entre Bauer e Mello na terceira posição.


No segundo pelotão estão Ideli Salvatti (PT) com 9%; Lucas Esmeraldino (PSL) com 8%; Roberto Salum (PMN) com 5%; Professor Antônio (PSOL) com 5%; Lédio Rosa (PT) com 4% e Professor Pedro Cabral (PSOL) com 3%. Entre estes candidatos, o único que cresceu além da margem de erro foi Esmeraldino, que tinha 2% na pesquisa anterior.

Ricardo Lautert (PSTU) e Diego Mezzogiorno (Rede) com 2%; e Andreá Luciano Carvalho (PCO) e Miriam Prochnow (Rede) com 1% completam as intenções de voto ao Senado. Brancos e nulos somam 29%, considerando as duas vagas, e 28% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Considerando os votos válidos, Amin tem 23%, Colombo tem 21%, Bauer tem 15% e Mello, 13%.

Presidência

A pesquisa Ibope encomendada pela NSC Comunicação também apurou as intenções de voto dos catarinenses para a Presidência da República.

Jair Bolsonaro (PSL) aparece liderando com 48% da preferência do eleitorado. Em segundo está Fernando Haddad (PT), com 15%. Na sequência do petista vêm Ciro Gomes (PDT) com 7% e Geraldo Alckmin (PSDB) com 5%. Os dois estão tecnicamente empatados.


Completam o cenário João Amoêdo com 4%, Alvaro Dias (Podemos) com 3%, Marina Silva (Rede) com 2%, Henrique Meirelles (MDB) com 2% e Cabo Daciolo (Patriota) com 1%. Guilherme Boulos (PSOL), Vera (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não alcançaram 1% das intenções de voto. Brancos e nulos somam 7%, enquanto 5% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Considerando apenas os votos válidos, Bolsonaro tem 55%, contra 17% de Haddad, 8% de Ciro e 6% de Alckmin.

Avaliação do governo federal

Além dos números da corrida ao Planalto, o instituto questionou os eleitores de Santa Catarina sobre a avaliação da administração federal. O presidente Michel Temer (MDB) tem a gestão desaprovada por 87% dos entrevistados, contra 9% que aprovam. A administração do emedebista é considerada ruim ou péssima por 76% dos eleitores, contra 16% de regular e 5% de ótimo ou bom.


Ficha técnica da pesquisa

Período da pesquisa: 3 a 5 de outubro
Tamanho da amostra: 1.008 eleitores em 56 municípios
Solicitante: NSC COMUNICAÇÃO
Margem de erro: máxima de três pontos percentuais para mais ou para menos
Nível de confiança: 95%
Registro: no TRE-SC sob o número  SC-01620/2018 e no TSE sob o número BR-01457/2018

Leia também:

Confira quem são os candidatos ao governo de SC

Média de gasto por voto dos eleitos cresceu até 172% desde 2002 em SC

Eleição ao governo de SC fica polarizada em três candidatos

Moacir Pereira: confira os bastidores das eleições em SC

Upiara Boschi: análise do cenário político catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história