Filho de Bolsonaro diz que "basta um soldado e um cabo para fechar o STF" Reprodução / YouTube/YouTube

Foto: Reprodução / YouTube / YouTube

O deputado federal reeleito pelo PSL Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), disse que "para fechar o STF, basta um cabo e um soldado".

A manifestação ocorreu antes do primeiro turno das eleições. O parlamentar foi questionado sobre a possibilidade de alguma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) impedir que seu pai assumisse, no caso de vitória em 5 de outubro — as pesquisas apontavam crescimento do candidato. Um homem perguntou se o Exército poderia agir sem ser invocado.

— Aí já está encaminhando para um Estado de exceção. O STF vai ter que pagar para ver. E aí, quando ele pagar para ver, vai ser ele contra nós. Você tá indo para um pensamento que muitas pessoas falam e muito pouco pode ser dito. Mas, se o STF quiser arguir qualquer coisa... Sei lá, recebeu uma doação ilegal de cem reais do José da Silva e então impugna a candidatura dele. Eu não acho isso improvável, não. Mas aí vai ter que pagar para ver. Será que eles vão ter essa força mesmo? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF, sabe o que você faz? Você não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo — afirmou Bolsonaro.

O deputado prosseguiu:

— O que é o STF? Tira o poder da caneta de um ministro do STF. O que ele é na rua? Você acha que, se você prender um ministro do STF, vai ter uma manifestação popular na rua a favor do STF? Milhões na rua dizendo solta o Gilmar (Mendes).

Em uma coletiva de imprensa na tarde deste domingo (21), Jair Bolsonaro afirmou desconhecer o vídeo. Disse ainda que quem quer fechar o STF "precisa consultar um psiquiatra".

 — Isso não existe, falar em fechar o STF. Se alguém falou em fechar o STF precisa consultar um psiquiatra [...] Desconheço esse vídeo. Duvido. Alguém tirou de contexto — afirmou o candidato, em coletiva de imprensa na casa do empresário Paulo Marinho, onde grava vídeos para seu programa eleitoral. 

O candidato a Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) se manifestaram. Em entrevista em São Luís (MA), o petista classificou a família de Bolsonaro como milicianos:

— O filho dele chegou a gravar um pensamento, se é que pode se chamar assim o que eles falam, em que diz que vai fechar o Supremo Tribunal Federal se eles desafiassem o Poder Executivo. Mandariam um cabo e um soldado, nem de jipe precisaria. Esse pessoal é uma milícia. Não é um candidato a presidente. É um chefe de milícia. Os filhos dele são milicianos, são capangas. É gente de quinta categoria — completou Haddad.

Pelo Twitter, FHC disse que as declarações "cruzaram a linha, cheiram a fascismo".

"As declarações do deputado Eduardo Bolsonaro merecem repúdio dos democratas. Prega a ação direta, ameaça o STF. Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas cruzaram a linha, cheiram a fascismo. Têm meu repúdio, como quaisquer outras, de qualquer partido, contra leis, a Constituição", escreveu.

 Leia mais

Jair Bolsonaro fala em acabar com a reeleição e reduzir número de deputados

Haddad apresenta novo plano de governo sem proposta de nova Constituinte

Confira todos os resultados do primeiro turno das Eleições 2018 em SC e no país

 Veja também
 
 Comente essa história