Vaias em evento do PT não foram para Haddad, mas para político do MDB Reprodução/

Foto: Reprodução

A checagem abaixo foi produzida pelo Projeto Comprova, iniciativa que reúne a NSC Comunicação e outros 23 veículos de mídia do país no combate à desinformação nas Eleições 2018. A apuração foi feita pela NSC e veículos parceiros: Band News FM, Poder360, Piauí, SBT, Gazeta Online e UOL.

Falso - O candidato do PT, Fernando Haddad, não foi vaiado em evento realizado pelo próprio partido para recepcioná-lo no Estado de Sergipe.

Enganoso - Publicações usam vídeo real, mas texto dos posts mencionam Haddad como se ele fosse o alvo do protesto. Na verdade, as vaias foram para um político do MDB.

É falsa a informação sobre o candidato à presidência da República Fernando Haddad (PT) ter sido vaiado e chamado de traidor por correligionários. O protesto, na verdade, ocorreu em 22 de agosto deste ano e foi direcionado ao ex-governador de Sergipe Jackson Barreto, do MDB. 

Na ocasião, uma comitiva recebia Haddad na sede do Partido dos Trabalhadores (PT) em Aracaju quando ele ainda era vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O vídeo real das vaias está sendo compartilhado com um título que não corresponde à realidade: "PETISTAS chamam HADDAD de TRAIDOR e gritam FORA HADDAD! Foraaaaaaá". 

Nos comentários de uma das publicações do YouTube com mais visualizações, internautas chegaram a dizer que "nem os petistas aguentam Haddad". Por outro lado, outros comentaristas alertaram que a menção ao candidato petista era falsa. 

Na gravação, é possível ouvir o grupo dizendo "Jackson traidor" e "Fora, Jackson". Para localizar a informação correta, o Comprova fez uma busca no Google usando esses termos. Veículos de imprensa locais reportaram a manifestação dos petistas contra o emedebista Jackson Barreto (como aqui e aqui). Não há nenhum registro de protesto relacionado a Haddad na ocasião. 

O ex-governador Jackson Barreto, ao Política em Foco, comentou o episódio. "Um grupo de quatro gatos pingados do Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe) tentou criar constrangimento para mim durante visita de Fernando Haddad", disse. Em Sergipe, MDB e PT estão na mesma coligação

A publicação enganosa no YouTube usou um vídeo com qualidade inferior ao original, publicado pelo NE Notícias. Essa estratégia dificulta a busca reversa de frames em ferramentas de pesquisa na internet. 

Mesmo assim, com o Google, foi possível localizar o conteúdo com informação falsa em contas do Twitter e em sites que apoiam o candidato Jair Bolsonaro (PSL)

O post mais antigo com a informação falsa encontrado pelo Comprova foi postado em 30 de setembro pelo usuário @rcp01. No texto que acompanha o vídeo ele afirma que "nem a militância petista quer Haddad" e ainda usa uma hashtag de apoio a Bolsonaro. 

O tuíte recebeu 770 retuítes e 1.444 curtidas até o dia 19 de outubro. No YouTube, o vídeo com o título falso mais popular foi visualizado cerca de 240 mil vezes. Foi publicado no perfil Evil Gamers Brasil, voltado a conteúdo político favorável ao candidato do PSL. 

Leia mais publicações do Prova Real

O Prova Real é a iniciativa de fact-checking e debunking da NSC Comunicação. Você também pode sugerir temas pelo e-mail provareal@somosnsc.com.br ou pelo WhatsApp (48) 99188-2253.  

Leia mais

Foto de maconha embalada com imagem de Lula é real, mas não tem ligação com campanha

É falsa notícia de que Jean Wyllys foi convidado para ser ministro da Educação de Haddad

Imagens de aeronaves da Havan com banners de Bolsonaro são simulações

Áudio atribuído a Jair Bolsonaro no hospital é falso

 Veja também
 
 Comente essa história