Detran prorroga prazo para adoção das placas do Mercosul em Santa Catarina Ministério das Cidades/Divulgação

Ministério das Cidades retirou os brasões de estados e cidades nas novas placas

Foto: Ministério das Cidades / Divulgação

O Departamento de Trânsito de Santa Catarina (Detran-SC) decidiu prorrogar o prazo para adoção das placas no padrão do Mercosul, no Estado. A decisão foi tomada na quinta-feira (29), após a constatação de que não há empresas suficientes que estejam aptas a produzi-las.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) havia determinado no começo deste ano que o novo padrão deveria ser adotado por todos os estados a partir do dia 1º de dezembro. Conforme o Detran-SC, as empresas que produzem as placas não conseguiram se cadastrar a tempo junto ao órgão federal, inviabilizando a mudança no Estado.

Ainda conforme o Detran-SC, no dia 28 deste mês, o Denatran determinou uma mudança no padrão das placas do Mercosul. Anteriormente, estava previsto que as identificações deveriam indicar os brasões do estado e do município onde o carro seria emplacado. Agora, os símbolos foram retirados.

Por causa dessas mudanças, que ainda estão em curso, o Detran-SC informou que não tem prazo definido para adotar as novas placas. Ainda de acordo com o órgão estadual, o sistema que registra as informações dos veículos já está apto a usar o padrão.

Novo padrão

As placas do Mercosul foram definidas há alguns anos e já estão disponíveis na Argentina e no Uruguai. A ideia era criar um banco de dados único entre os países, semelhante ao que existe na União Europeia. Com isso, seria mais fácil de controlar o tráfico de veículos roubados, já que as informações de cada veículo estariam disponíveis em várias nações.

As novas placas também aumentam o número de identificações possíveis, já que passam a adotar mais letras do que números. No Brasil, o atual padrão pode se esgotar nos próximos anos.

Leia mais:

Justiça suspende a implantação das placas do Mercosul em todo o Brasil

 Nova placa veicular será mais barata e impossível de falsificar, diz Denatran

 

 


 Veja também
 
 Comente essa história