Nesta quarta-feira, em sessão do Tribunal do Júri da Comarca de Caçador, Fábio da Silva, 24 anos, foi condenado pelo segundo homicídio. Nos dois casos, ele foi acusado de matar e esquartejar suas vítimas. A pena aplicada foi de 10 anos, um mês e 24 dias de prisão. 

Os jurados reconheceram a autoria dos crimes de homicídio - qualificado por ter sido praticado por motivo fútil, por motivo torpe, por meio cruel e mediante dissimulação - e de destruição de cadáver. O Promotor de Justiça João Paulo de Andrade, que representou o Ministério Público no julgamento, considerou a pena de reclusão insuficiente e anunciou que recorrerá da decisão.

 Suspeito de assassinatos em série em Caçador confessa segundo homicídio

A denúncia apresentada pelo Ministério Público relata que o réu, em 19 abril de 2016, ao sair de trabalho à noite, viu a vítima, Clarisse Justino de Andrade, no local onde se prostituía em Caçador, no Meio-Oeste de SC. Silva teria combinado um programa com Clarisse e levou-a a um local deserto, onde agrediu a vítima até que ficasse inconsciente e asfixiou-a.

Segundo a acusação, dois dias depois, o réu teria voltado ao local com uma faca e uma pá cortadeira e esquartejou o corpo da vítima - ação que filmou com o celular - e o enterrou nas proximidades. O cadáver foi encontrado no dia 5 de maio, com auxílio de cães farejadores, após Silva confessar o crime. 

 "Acredito que estamos diante de um serial killer", diz delegado  

Ele também foi condenado pelo homicídio de Lucas Pereira, que foi assassinado e esquartejado. A defensora pública Elaine Caroline Masnik não atendeu as ligações da reportagem.  

Leia também:

Operação de repressão ao tráfico de drogas cumpre 35 mandados de prisão preventiva em Garopaba, Litoral Sul de SC

Motorista pula de caminhão em acidente e morre na rodovia que liga SC ao PR


 Veja também
 
 Comente essa história