O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou neste sábado atentado suicida de sexta-feira em um mercado da cidade de Kalaya, noroeste do Paquistão, que deixou 33 mortos e mais de 50 feridos, segundo as autoridades.

Em um comunicado publicado pela Amaq, órgão de propaganda do grupo, o EI afirma que atacou e matou um grande número de xiitas no atentado. O Paquistão nega a presença do Estado Islâmico em seu território, apesar do grupo ter reivindicado alguns dos atentados mais recentes no país.

Na fronteira com o Afeganistão, as zonas tribais formam uma região onde os talibãs e a Al-Qaeda atuaram durante muito tempo com impunidade.

Estas zonas se transformaram em um dos grandes desafios da "guerra contra o terrorismo" após os atentados de 11 de setembro de 2001. O governo dos Estados Unidos acusa de maneira frequente o Paquistão de tolerar a presença de insurgentes nesta região, o que Islamabad nega.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história