A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, vai se unir nesta sexta-feira (9) Somme (norte) ao presidente francês, Emmanuel Macron, em uma referência franco-britânica da Primeira Guerra Mundial, na véspera de um fim de semana que marcará o ápice das comemorações pelo Centenário do Armistício de 1918.

O presidente americano, Donald Trump, deve chegar à capital francesa no fim do dia.

A longa "itinerância memorial" de Macron no norte e no leste da França retoma uma dimensão internacional e diplomática que levará, no domingo, dezenas de chefes de Estado estrangeiros a Paris.

Macron continua a associar o aspecto comemorativo de seu périplo e a promoção de seu programa presidencial, em particular nos campos econômico e social.

Nesta sexta pela manhã, ele esteve em um centro social de Lens, uma cidade mineradora.

Um milhão de pessoas, de um total de seis milhões de habitantes da região de Hauts-de-France (norte), vive no limiar da pobreza. Com uma taxa de desemprego de 11,6%, a região também é a mais atingida pelo desemprego na França metropolitana, de acordo com o Palácio do Eliseu.

Na sequência, o presidente recebe Theresa May em Albert, para um almoço de trabalho. Depois, ambos visitarão a necrópole franco-britânica de Thiepval. Acompanhado de sua mulher, Brigitte, ele seguirá para Historial de Péronne e concluirá a viagem com uma mesa-redonda com historiadores especializados na Grande Guerra, um conflito que deixou mais de 18 milhões de mortos e 20 milhões de feridos.

"Há um século, as forças britânicas combateram lado a lado com nossos aliados europeus no front do Oeste. Hoje, na França e na Bélgica (aonde May também deve ir ainda hoje), nós nos debruçamos sobre nossa história comum, mas também sobre nosso futuro compartilhado, construído sobre a paz, a prosperidade e a amizade", afirma uma declaração do número 10 da Downing Street.

Os dois depositarão uma coroa composta de flores em homenagem aos combatentes caídos, a papoula britânica e o mirtilo francês.

A ida de May marca o ponto forte da presença britânica nas comemorações internacionais do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial no continente.

O ponto alto dessa homenagem será no domingo, mas sem a premiê, que participará das comemorações em casa.

- Trump no Eliseu -

Macron retorna para Paris na sexta-feira à noite antes de um fim de semana de comemorações do Armistício encerrado com um Fórum pela Paz. São esperados cerca de 60 líderes mundiais, entre eles, a chanceler alemã, Angela Merkel, e os presidentes russo, Vladimir Putin, e turco, Recep Tayyip Erdogan.

Na manhã deste sábado, o presidente receberá Trump no Eliseu, antes de se encontrar com Angela Merkel à tarde na "clareira do Armistício", em Rethondes, na floresta de Compiègne, onde também foi assinada em 1940, por Hitler, a capitulação da França. Segundo o Eliseu, esses encontros simbolizarão o desfecho do processo de reconciliação entre os dois países.

No domingo de 11 de novembro, acontecerá o Fórum de Paris sobre a Paz, com o objetivo de "lembrar a necessidade de defender e reforçar o multilateralismo mundial".

Esse evento reunirá vários atores da governança mundial - Estados, organizações internacionais, ONGs, empresas, sindicatos, grupos religiosos, mas não Trump - para "apresentar soluções para uma melhor organização do planeta".

O encontro será encerrado por Macron e pelo secretário-geral da ONU, Antonio Gutteres.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história