Dois projetos que preveem reajuste salarial para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e para o procurador-geral da República podem ser votados no plenário do Senado nesta quarta-feira (7). Segundo o portal G1, as propostas foram incluídas na pauta da casa legislativa na terça.

As matérias seguem agora para análise do presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), que terá de designar um senador para elaborar um parecer — favorável ou não aos projetos — que será, então, votado em plenário.

Apresentados pelo STF e pela PGR, os dois projetos foram aprovados pela Câmara em 2016 e preveem que os salários de ministros do STF e do procurador-geral da República passariam de R$ 33,7 mil para R$ 36,7 mil e, a partir de janeiro de 2017, R$ 39,2 mil.

Desde então, os dois projetos estavam parados na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde contavam com parecer contrário do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). 

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019, contudo, determina que a concessão de qualquer vantagem ou aumento de remuneração só poderá ser feita se houver prévia dotação orçamentária e se houver autorização específica, como determina a Constituição. Para que o aumenta ocorra, deverá haver uma alteração na LDO de 2019,  o que é de exclusividade do presidente da República.

Leia mais notícias sobre o Senado

 Veja também
 
 Comente essa história