Bolsonaro: "regimes que violam as liberdades" não estarão na posse presidencial Evaristo Sá/AFP

Tuíte de Bolsonaro confirmou informação dada mais cedo em caminhada de que não convidará líderes de Cuba e Venezuela

Foto: Evaristo Sá / AFP

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou no Twitter na noite deste domingo (16) que não vai convidar líderes de "regimes que violam as liberdades de seus povos" para a posse dele, em 1º de janeiro.

Leia mais
Bolsonaro deve explicações
Governo venezuelano afirma que Maduro foi convidado para posse de Bolsonaro
Bolsonaro diz que pena de morte não será debatida em seu governo

"Naturalmente, regimes que violam as liberdades de seus povos e atuam abertamente contra o futuro governo do Brasil por afinidade ideológica com o grupo derrotado nas eleições não estarão na posse presidencial em 2019. Defendemos e respeitamos verdadeiramente a democracia", escreveu Bolsonaro na rede social.

Mais cedo, durante caminhada na orla do Rio de Janeiro, o presidente eleito confirmou que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e o presidente de Cuba, Miguel Diáz-Canel, não serão convidados para a posse por serem ditadores. A declaração teve a anuência do futuro chanceler, Ernesto Araújo.

Antes do tuíte de Bolsonaro,  o governo venezuelano afirmara que o presidente Nicolás Maduro havia sido convidado para a posse de Jair Bolsonaro, inclusive publicando foto do convite enviado pelo Itamaraty.

"Aqui podem ler as duas notas diplomáticas oficiais enviadas pelas autoridades brasileiras convidando o governo venezuelano e o presidente a comparecer à posse de Jair Bolsonaro", tuitou mais cedo o chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza.

Veja abaixo os dois tuítes:


 Veja também
 
 Comente essa história