Ex-assessor de Flávio Bolsonaro que movimentou R$ 1,2 milhão vive em casa simples no Rio Juliana Castro/Agência O Globo

Residência fica em beco na zona oeste do Rio

Foto: Juliana Castro / Agência O Globo

Citado em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) devido a uma “movimentação atípica” de R$ 1,2 milhão em suas contas bancárias, o motorista e ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Fabrício José Carlos de Queiroz, mora em uma casa simples, em um beco no bairro da Taquara, na zona oeste do Rio de Janeiro. A informação foi divulgada nesta terça-feira (11) em reportagem do jornal O Globo.

O relatório do Coaf foi produzido no âmbito da Operação Furna da Onça, que culminou na prisão de 10 deputados estaduais do Rio no início de novembro.

O documento cita que assessores de Flávio Bolsonaro movimentaram dinheiro para a conta de Queiroz. Os nomes da mulher e da filha dele – que foi exonerado do gabinete de Flávio em 15 de outubro deste ano – estão entre os citados no documento. O Coaf detectou ainda que, da conta de Queiroz, saíram recursos depositados em nome da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.


Defesa

No sábado, o deputado Flávio Bolsonaro – que foi eleito senador na última eleição – afirmou ter ouvido de Queiroz uma explicação para a movimentação atípica, mas se recusou a revelá-la. O ex-assessor não comenta o caso.

Já o presidente eleito Jair Bolsonaro disse ter feito um empréstimo de R$ 40 mil a Queiroz, que teria feito o pagamento na conta de Michelle. Ele e o ex-assessor teriam se conhecido em 1984, em um curso no Exército. Anos depois, o futuro presidente o indicou para ser assessor de Flávio.

Leia também:

Moro pretende ampliar e reforçar estrutura do Coaf

Onyx abandona coletiva após perguntas sobre caixa 2 e Coaf

MP investiga assessores de Flávio Bolsonaro e de outros 21 deputados do Rio


 Veja também
 
 Comente essa história