Operação cumpre mandados em SC contra suspeitos de integrarem facção criminosa de SP Polícia Militar/Divulgação

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em celas de sete penitenciárias e quatro presídios do Estado

Foto: Polícia Militar / Divulgação

Um total de 52 mandados de prisão preventiva e outros 52 de busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta terça-feira (4) em oito municípios da Grande Florianópolis, do Norte, do Vale do Itajaí, do Oeste e em onze unidades, entre presídios e penitenciárias, de Santa Catarina.

A operação, denominada "Encarcerados", acontece em Florianópolis, São Pedro de Alcântara, Joinville, Itajaí, Chapecó, Capinzal, Campo Erê e São Cristovão do Sul.

O objetivo da ação, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), é identificar e prender lideranças e expoentes da organização criminosa paulista no Estado de acordo com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que integra a força-tarefa.

De acordo com o promotor de justiça regional do Oeste de SC, Alessandro Rodrigo Argenta, a quantidade de horas de conversas telefônicas dentro das unidades, captada no sistema prisional, foi algo que chamou a atenção na investigação.

— Foram mais de quatro mil horas de interceptação de conversas de pessoas presas com o mundo exterior, com as lideranças, e a partir disso eles organizaram diversas questões envolvendo a facção, inclusive deliberações de morte, que acompanhamos nos áudios, deliberações sobre a organização financeira da facção, inclusive dos batizados — afirmou em entrevista à NSC TV.

O objetivo da organização, conforme o promotor, é, claramente, se expandir em território catarinense.

Os mandados estão sendo cumpridos também em seis municípios de outros quatro estados brasileiros, em Foz do Iguaçu e Umuarama, no Paraná; em Dourados e Aparecida Do Taboado, no Mato Grosso do Sul; em Junqueirópolis, em São Paulo, e em Maceió, em Alagoas, totalizando 66 mandados de prisão preventiva e 64 de busca e apreensão.

Investigação

A partir do trabalho de investigação realizado pela Promotoria de Justiça Regional de Segurança Pública do Oeste do Estado, foi possível identificar dezenas de pessoas integrantes de facções que atuam nos municípios catarinenses conforme o MPSC. 

— A investigação também focou na organização, integração das lideranças, gestão de recursos (dinheiro, drogas e armas) e expansão da Facção Paulista em nosso Estado. Durante o acompanhamento, além da identificação das lideranças, foram obtidas informações acerca de diversos crimes praticados pelo grupo criminoso, incluindo identificação de um homicídio no interior do sistema prisional de Joinville e tortura praticada contra uma mulher na cidade de Florianópolis — afirmou o órgão por meio de nota.

De acordo com o Ministério Público, também foram obtidas informações relacionadas a diversos crimes praticados pelo grupo criminoso, incluindo a identificação de um homicídio no interior do sistema prisional de Joinville e tortura praticada contra uma mulher na cidade de Florianópolis.

Unidades prisionais

A operação está sendo realizada também em sete penitenciárias e em quatro presídios do Estado. Estão sendo realizadas revistas nas celas para possibilitar o cumprimento dos mandados de busca e apreensão de acordo com o Departamento Estadual de Administração Prisional (DEAP-SC). 

As unidades são:

• Penitenciária Agrícola de Chapecó

• Penitenciária Industrial de Chapecó 

• Presídio Regional de Chapecó 

• Penitenciária da Região de Curitibanos 

• Presídio Feminino de Florianópolis 

• Penitenciária de Florianópolis 

• Complexo Penitenciário do Estado 

• Penitenciária de Itajaí

• Presídio Feminino de Itajaí 

• Presídio Regional de Joinville 

• Penitenciária de Joinville

Leia mais notícias de Florianópolis e de todo o Estado

 Veja também
 
 Comente essa história