Rahaf Mohamed al-Qunun, a jovem saudita que chamou a atenção do mundo inteiro depois de fugir da família e solicitar asilo no exterior, chegou neste sábado (12) ao aeroporto de Toronto, onde foi recebida pela ministra das Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland.

"Ela fez uma longa viagem, está exausta e prefere não responder perguntas neste momento", disse Freeland aos repórteres que esperavam pela jovem, de 18 anos.

A saudita diz fugir da violência física e psicológica de sua família, motivo pelo qual o premiê Justin Trudeau decidiu lhe conceder asilo.

"Ela queria que os canadenses vissem que chegou ao Canadá", acrescentou Freeland, ao lado da jovem.

A ministra elogiou a "coragem" de Rahaf, a quem deu as boas-vindas "a seu novo lar", o Canadá.

A chegada da jovem a Toronto é o epílogo de um caso que mobilizou vários países por uma semana, depois que ela divulgou sua situação pelo Twitter.

Ela foi detida na semana passada, ao chegar a Bangcoc, procedente do Kuwait. Inicialmente, as autoridades tailandesas ameaçaram deportá-la de volta para casa.

Rahaf se entrincheirou em um quarto de hotel no aeroporto, tuitando várias mensagens e vídeos desesperados.

Ela também disse à Human Rights Watch que pretendia renunciar ao Islã, o que a colocaria em "grave perigo", segundo a ONG.

Depois de uma mobilização a seu favor nas redes sociais, as autoridades tailandesas renunciaram à ideia de deportá-la e lhe permitiram sair do aeroporto com representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história