Metade dos cidadãos da União Europeia considera o ódio aos judeus um problema em seu respectivo país - aponta o Relatório Eurobarômetro divulgado nesta terça-feira (22), observando que as manifestações mais problemáticas são a questão do Holocausto e do antissemitismo na Internet.

"Estou plenamente ciente da ameaça que o antissemitismo continua a representar. Enquanto nos lembramos dos mortos, também devemos nos concentrar nos vivos", declarou a comissária de Justiça, Vera Jourova, no Museu Judaico de Bruxelas, ao apresentar o relatório.

Baseado em uma pesquisa com mais de 27.000 pessoas nos 28 países europeus, o Relatório Eurobarômetro revela que pelo menos 36% dos entrevistados acreditam em que o antissemitismo aumentou em seu país nos últimos cinco anos.

A percepção dessa questão é maior para os judeus.

Nove em cada dez pessoas desta confissão estimam que o antissemitismo progrediu em seus países nos últimos cinco anos, de acordo com uma pesquisa publicada em dezembro passado pela Agência da UE para os Direitos Fundamentais.

Para os europeus, independentemente de suas crenças, a questão do Holocausto é o principal problema, seguido pelo antissemitismo na Internet, pichações e vandalismo contra sua comunidade, além de ameaças contra os judeus no espaço público.

Jourova anunciou, nesta terça-feira, a criação de um "grupo de trabalho" de especialistas europeus para garantir a aplicação de uma "Declaração sobre o antissemitismo", um documento recentemente assinado pelos 28 e que se compromete a intensificar sua luta.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história