Os Estados Unidos estão "otimistas" com a possibilidade de que os curdos sejam protegidos apesar da saída do país da Síria, enquanto garantem à Turquia "o direito de defender seu país de terroristas", declarou o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, neste sábado (12), em Abu Dhabi.

"Confiamos na possibilidade de alcançar este duplo objetivo", disse ele a repórteres que o acompanham em sua visita ao Oriente Médio.

No sábado, Pompeo conversou por telefone com seu homólogo turco, Mevlut Cavusoglu.

Antes da retirada dos Estados Unidos da Síria, os grupos curdos sírios, aliados de Washington na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), tiveram que confiar no regime de Damasco para garantir sua sobrevivência diante das ameaças turcas.

De fato, a Turquia ameaça lançar uma ofensiva contra estes combatentes curdos na Síria, aos quais considera "terroristas", e aliados dos curdos turcos do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, que estão promovendo uma insurreição contra o Estado turco desde 1984.

Desde então, Pompeo procura garantir que "os turcos não massacrem os curdos". Washington até subordina sua retirada da Síria ao fato de que eles estão protegidos, o que irrita Ancara.

"Nós reconhecemos que os turcos e o presidente (Turk Recep Tayyip) Erdogan tem o direito de defender seu país dos terroristas", disse Mike Pompeo em Abu Dhabi.

"Aqueles que lutam conosco por um longo tempo também merecem ser protegidos", acrescentou ele, referindo-se às milícias curdas sírias.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história