Manifestantes se reuniram na capital de Bangladesh neste sábado (20) pelo décimo dia seguido para protestar contra a morte de uma estudante que foi queimada. A jovem tinha denunciado o diretor de sua escola por abuso sexual.

O assassinato de Nusrat Jahan Rafi, de 19 anos, causou indignação no país, trazendo atenção para a reação da polícia. Manifestantes em Dacca diziam palavras de ordem pedindo pena de morte para os responsáveis pelo assassinato.

De acordo com a polícia, Rafi foi atraída para o terraço do seminário islâmico onde estudava, e seus agressores pediram para ela retirar a queixa que havia apresentado à polícia contra o diretor. Quando se recusou, ela foi banhada em querosene e queimada.

O objetivo dos agressores era simular um suicídio, mas a jovem conseguiu escapar em chamas.

Rafi morreu em 10 de abril, após ter mais de 80% de seu corpo queimado. Antes de falecer, gravou um vídeo repetindo suas denúncias contra o diretor e identificando alguns de seus agressores.

"O professor me tocou. Lutarei contra este crime até meu último suspiro".

Dezoito pessoas, inclusive o diretor, estão presas.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história