Homens armados mataram pelo menos 14 pessoas depois de forçá-las a descerem dos ônibus em que viajavam no Baluchistão, a mais instável das províncias do Paquistão, no oeste do país - informaram as autoridades.

Os agressores, que usavam uniformes de uma força paramilitar, "pararam os ônibus na estrada costeira de Makran e mataram 14 pessoas", declarou o ministro do Interior do Baluchistão, Haider Ali.

Os passageiros mortos "tinham identificações que não vinham do Baluchistão", disse Ali, acrescentando que dois oficiais, um da Marinha e outro da Guarda costeira, estavam entre as vítimas.

Outra autoridade administrativa confirmou o ataque e o balanço de vítimas.

Os ônibus viajavam entre as cidades de Karachi e Omara, na costa de Baluchistão, segundo o ministro do Interior.

Em nota divulgada por seu gabinete, o primeiro-ministro Imran Khan condenou os assassinatos.

Até agora, nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, que aconteceu menos de uma semana depois de uma explosão suicida na capital provincial, Quetta, que matou 20 pessoas.

"Esses incidentes são intoleráveis e não perdoaremos os terroristas que cometeram esse terrível ataque", disse o ministro do Interior do Baluchistão, Mir Zia Langov.

Na fronteira com Afeganistão e Irã, a província do Baluchistão sofre com uma insurgência separatista e a violência islamista, que deixaram centenas de mortos nos últimos anos.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história