A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S) de março subiu 0,65%, 0,04 ponto porcentual acima da taxa registrada na última divulgação. Com este resultado, informa a Fundação Getulio Vargas (FGV), o indicador acumula alta de 1,57% no ano e 4,88% nos últimos 12 meses.

Nesta apuração, cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (0,92% para 1,22%). Nesta classe de despesa, destaca-se a alta no preço da gasolina, de 3,05% ante um ajuste de 1,64% no mês passado.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Saúde e Cuidados Pessoais (0,34% para 0,37%), Vestuário (0,44% para 0,50%), Despesas Diversas (-0,07% para -0,04%) e Habitação (0,34% para 0,36%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: artigos de higiene e cuidado pessoal (0,17% para 0,39%), roupas (0,50% para 0,72%), cigarros (-0,45% para -0,34%) e tarifa de eletricidade residencial (0,87% para 1,08%).

Em contrapartida, os grupos Educação, Leitura e Recreação (0,13% para 0,02%) e Alimentação (1,14% para 1,10%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: excursão e tour (-0,50% para -2,39%) e arroz e feijão (8,77% para 6,36%).

O grupo Comunicação repetiu a taxa de variação de 0,19% registrada na última apuração. As principais influências partiram dos itens: mensalidade para TV por assinatura (0,00% para 0,31%), em sentido ascendente, e mensalidade para internet (1,21% para 1,06%), em sentido descendente.

 Veja também
 
 Comente essa história