Os líderes dos protestos no Sudão exigiram neste domingo que a junta militar ceda "imediatamente" o poder a um governo civil e que o novo regime leve à justiça o presidente deposto Omar al Bashir.

"Pedimos ao conselho militar que ceda imediatamente o poder a um governo civil", afirmou a Associação de Profissionais Sudaneses (SPA), que também pediu ao "governo de transição e às Forças Armadas que levem Bashir à justiça".

A SPA também pediu o julgamento das pessoas que cometeram o golpe de Estado de 1989, que levou Bashir ao poder ao derrubar um governo democraticamente eleito.

"Aqueles que cometeram crimes contra a humanidade e genocídio em Darfur, nas montanhas de Nuba e no Nilo Azul, têm que enfrentar a justiça", afirma um comunicado.

O Tribunal Penal Internacional (TPI) de Haia reclama Bashir por genocídio e crimes contra a humanidade por seu papel no conflito na região sudanesa de Darfur, acusações que ele rejeita.

O presidente interino do partido de Bashir (Partido do Congresso Nacional), Ahmed Harun, está sendo investigado pelas mesmas acusações.

"Também pedimos a libertação dos soldados e oficiais que ficaram ao lado da revolução", completa o texto.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história