As autoridades turcas prenderam, em Istambul, dois cidadãos dos Emirados Árabes Unidos suspeitos de trabalharem para os serviços de Inteligência de seu país - informou a agência de notícias pública Anadolu nesta sexta-feira (19).

As autoridades turcas tentam descobrir se a dupla está, ou não, ligada ao assassinato, em outubro passado, do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado de seu país em Istambul, acrescentou a Anadolu.

Segundo a agência de notícias turca DHA, os dois suspeitos foram entregues às autoridades judiciais após um interrogatório.

O governo turco mantém relações delicadas com a Arábia Saudita e com os Emirados Árabes Unidos, dois países que impuseram um bloqueio econômico ao Catar, aliado da Turquia.

Após o assassinato de Khashoggi, dirigentes e meios de comunicação turcos acusaram o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman.

Khashoggi, que colaborava com o jornal americano "The Washington Post" e cujo corpo continua em paradeiro desconhecido, era um crítico de "MBS". O príncipe nega qualquer envolvimento na morte do jornalista.

Depois de negar o homicídio em um primeiro momento, Riad deu depois várias versões contraditórias e agora sustenta que Khashoggi morreu durante uma operação não autorizada pelo poder.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou, em diferentes ocasiões, que continuaria investigando a morte de Khashoggi e lamentou a falta de cooperação das autoridades sauditas.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história