O embaixador dos Estados Unidos na China visita o Tibete nesta semana, depois de quatro anos, já que o acesso à região costuma ser extremamente controlado para diplomatas e jornalistas estrangeiros, informou a embaixada americana nesta segunda-feira.

A visita de Terry Branstad ocorre dois meses depois de o Departamento de Estado dos EUA ter publicado um relatório afirmando que Pequim "sistematicamente" dificulta o acesso às áreas de assentamento tibetanas.

Branstad irá à província de Qinghai (noroeste), onde vivem muitos tibetanos, e à região autônoma do Tibete (oeste), informou uma porta-voz da embaixada dos EUA à AFP.

"Essa visita é uma oportunidade para o embaixador conversar com líderes locais e abordar preocupações de longa data sobre as restrições à liberdade de culto e a preservação da cultura e da língua tibetanas", disse a porta-voz.

"O embaixador saúda essa oportunidade de visitar a região autônoma do Tibet e encoraja as autoridades a fornecer acesso à região a todos os cidadãos americanos", acrescentou.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história