Uma investigação foi aberta após o assassinato, no sábado, de uma nonagenária em uma casa de repouso no norte da França e sua colega de quarto de 102 anos, suspeita de tê-la matado, foi hospitalizada na psiquiatria - informou a Procuradoria.

A vítima, uma residente de 92 anos, foi encontrada no sábado, pouco depois da meia-noite, na cama, de rosto inanimado e inchado, por uma funcionária do estabelecimento, localizado em Chézy-sur-Marne, a 100 km de Paris.

A necropsia "concluiu uma morte por asfixia por estrangulamento e golpe na cabeça", indicou o procurador de Soissons, Frederic Trinh.

"A ocupante do quarto ao lado, (...) de 102 anos, manifestou-se, em grande estado de agitação, afirmando 'ter matado alguém'", acrescentou.

Transferida para um centro hospitalar por causa de "seu estado de confusão e agitação", a centenária "foi, após exame por um especialista, admitida em uma clínica psiquiátrica".

Ela "não foi ouvida" pelos investigadores, disse Trinh à AFP.

Uma avaliação psiquiátrica deve ser realizada "para determinar se esta senhora é imputável judicialmente", disse ele.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história