A moção de censura contra o primeiro-ministro conservador Sebastian Kurz, enfraquecido pela saída do governo de coalizão de extrema-direita, ocorrerá na segunda-feira, decidiu o presidente austríaco nesta terça-feira.

Wolfgang Sobotka disse que considerou preferível realizar o voto de confiança solicitado pela oposição após as eleições europeias de domingo.

Desde a queda da coalizão entre a direita e a extrema-direita devido a um vídeo comprometedor do nacionalista Heinz-Christian Strache, a crise política está se espalhando na Áustria e agora ameaça o chanceler Sebastian Kurz, de 32 anos.

A moção de censura foi apresentada pelo pequeno partido ambientalista Jetzt, mas os social-democratas e o partido de extrema-direita FPÖ, os parceiros de Kurz, não excluíram seu apoio, o que lhes permitirá proporcionar uma maioria ao chefe de governo antes das eleições legislativas antecipadas, marcadas para setembro.

Estas eleições legislativas foram convocadas pelo chanceler após a exibição de um vídeo em que o líder da FPÖ e vice-primeiro ministro Heinz-Christian Strache estava disposto a conceder contratos públicos para a Rússia em troca de apoio financeiro.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história