Pesquisa e desenvolvimento para encontrar soluções inteligentes, precisas e úteis. Esse é o novo imperativo das empresas em torno de uma nova cultura organizacional. O "pensar fora da caixa" é a filosofia que une o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e parceiros como a Cata Company. Para empreender e crescer, é preciso cada vez mais buscar uma performance de alta inovação nos processos produtivos.

O aporte financeiro obtido a partir de uma das linhas de financiamento do programa BRDE Inova gera perspectivas totalmente novas para o mercado. Com a linha MPME Inovadora, a Cata Company conseguiu viabilizar dois programas de sucesso, o CataMoeda (dispositivo para troca e recirculação de moedas no varejo) e o CataCash One (cofre inteligente com gestão remota por dados em nuvem).

A operação de crédito do BRDE veio num momento crucial de estímulo à performance de alta inovação tecnológica na startup catarinense, fundada há cinco anos. Segundo Guilherme Boria, diretor administrativo-financeiro da Cata Company, a agilidade do banco foi fundamental em função das mudanças tributárias, da contração de crédito e da diminuição geral da renda:

- O cenário econômico de retração das linhas de crédito bancário e de aumento nas taxas de juros tornou as condições da linha MPME Inovadora ainda mais diferenciadas e atrativas em comparação ao crédito bancário tradicional, dando o apoio necessário para que nossas operações fossem formalizadas rapidamente - diz.

A despeito das dificuldades, a alta inovação cresce em Santa Catarina. Muitas empresas, em especial as startups, alavancam o setor de tecnologia e soluções. Dados do Acate Tech Report 2015 apontam que o setor tecnológico de Santa Catarina já corresponde a aproximadamente 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, com faturamento estimado em R$ 5,4 bilhões.

- Crédito é uma mola para impulsionar a expansão do polo tecnológico catarinense. Mas, sem melhorias disruptivas, a alta inovação não se efetiva - avalia Guilherme Boria, que acrescenta:

- Inovar é fazer algo novo ou de uma nova maneira. É uma "cultura" que todos deveríamos praticar, com questionamentos do tipo "será que podemos fazer isto de maneira diferente, economizando recursos, melhorando o resultado?". É fazer diferente sem medo de errar e, se errar, corrigir rápido e aprender com o erro.

Clique aqui e conheça o BRDE