Esta máxima do marketing é clara: não se trata do que você compra, mas por que você o adquire. Nos últimos anos, as principais redes varejistas passaram a se guiar em pesquisas para conhecer seu público e oferecer a melhor experiência de compra possível. O diferencial competitivo dessa atitude é comprovado pelo levantamento da Dimension Data conduzido em 2017, o qual mostra que 84% das empresas que investiram nessa área registraram um aumento de receita.

Mais do que oferecer um produto adequado às expectativas e os anseios do seu comprador, conhecer seu comportamento ajuda a planejar uma série de ações para fidelizá-lo a sua marca. Enquanto muitas empresas se apropriam de pesquisas com base na jornada online de compra, é sempre enriquecedor observar o público diretamente no ponto de venda. A coleta de dados por aplicativos, sites e programas de fidelidade já servem para ter uma noção das preferências do consumidor, mas o avanço tecnológico em equipamentos nas lojas físicas trazem novas oportunidades para avaliar os verdadeiros desejos do seu cliente.

Tecnologia no PDV

A instalação de câmeras no ponto de venda começou como uma forma de registrar eventuais furtos, mas se transformou em uma poderosa ferramenta na hora de planejar uma estratégia de vendas. Aliada à tecnologia de mapas de calor, que demonstra em cores as áreas com maior e menor interação entre as pessoas, é possível compreender em detalhes (com a ajuda de softwares atrelados às câmeras) o comportamento do consumidor.

Esses novos sistemas de monitoramento ajudam comerciantes a catalogar a movimentação do cliente na loja, ao visualizar por onde ele trafega. A informação é valiosa para otimizar a disposição dos produtos no comércio, auxiliando os gerentes a colocar as peças mais populares, os lançamentos e os itens em liquidação no lugar certo. É também interessante para investigar problemas como o porquê de certa seção ter pouca saída de mercadoria.

Além de estudar o tráfego dos consumidores, a ferramenta funciona como um excelente ativo para o time de gestão. Ela é capaz de fornecer dados que ajudam a entender o fluxo da equipe de vendas, o desempenho dos funcionários e auxiliar em novos treinamentos para os colaboradores.

É importante analisar os padrões do calor junto ao vídeo, pois o mapa aponta apenas a presença humana no local. O local onde os vendedores permanecem nos horários de pouco movimento indicará um falso ponto, por exemplo. Com a avaliação das imagens em paralelo, tem-se a percepção completa das atividades na loja.

Tendências para os próximos anos

Os mapas de calor em conjunto com monitoramento em vídeo já oferecem uma sofisticada solução para pesquisar o comportamento do público. No futuro próximo, as redes varejistas esperam utilizar softwares para a contagem das pessoas com a possibilidade de reconhecimento facial.

Câmeras com contagem de pessoas já estão disponíveis no mercado e são tecnologia de ponta no segmento.

Essa proposta visa a instalação de câmeras com tecnologia de ponta no interior das paredes da loja para a coleta de dados. O equipamento é capaz de reconhecer a idade, o gênero e até mesmo a expressão facial dos consumidores para identificar se estão felizes ou descontentes com os produtos ou o serviço. Tudo com a possibilidade de acesso remoto, o que facilita para corporações com diversas filiais. A câmera que coleta a informação necessita de um software não incluso para a análise dos dados.

O sistema vai além de apontar os horários de pico para favorecer a criação de campanhas publicitárias mais personalizadas, de forma a contribuir com a experiência do consumidor antes mesmo que ele entre em contato com o varejo.

Se você tem um comércio e se interessou por esses produtos, fique por dentro das novidades da Khronos. Veja como oferecer uma experiência de compra diferenciada e com segurança usando as nossas soluções.