Opinião: "Voto não tem preço, tem consequência!" /

Há considerável consenso de que o país atravessa uma profunda crise de representação política. Independentemente de cores partidárias, em geral o povo está descrente com a classe política e não confia que seus interesses serão defendidos por esse ou aquele candidato. 

Acompanhamos atônitos a marcha desse sério e progressivo processo de erosão das bases do modelo representativo, permeado por recorrentes escândalos de corrupção que desaguam em uma generalizada demonização da política e dos políticos em geral, colocando em cheque a própria crença na democracia.

Veja também:
Fórum CBN discute corrupção e política
Fecoagro adere à campanha Vote Consciente
Guia especial ajuda o eleitor a votar melhor

Inegavelmente, muitas são as causas dessa lamentável realidade, mas normalmente tendemos a depositar integralmente a culpa no sistema eleitoral brasileiro e nos próprios políticos. Mas de onde vêm os políticos? Como são alçados à condição de representantes do povo? Eles não vêm de Marte ou de qualquer galáxia distante. São, sim, pessoas eleitas a partir do nosso voto.

O processo de maturidade social e política das três décadas de abertura democrática impõe a reflexão sobre nossa parcela de responsabilidade enquanto eleitores. A cidadania não traz só direitos. Somos condôminos e, portanto, corresponsáveis pelas nossas escolhas coletivas. Em síntese: voto não tem preço, voto tem consequência! 

Esse é o lema de várias campanhas institucionais de conscientização acerca da importância do voto, enquanto instrumento de defesa dos nossos interesses e transformação social. Eis, inclusive, o ideário que inspira a campanha recentemente lançada pela OAB/SC, em parceria com o Diário Catarinense, em defesa do voto consciente. 

Mais do que o fomento à ampliação do debate da agenda política pela população em geral, todos somos conclamados a assumirmos uma posição reflexiva e ativa em torno do pleito eleitoral que se avizinha. Não se trata aqui de unicamente condenarmos a compra e venda de votos ou troca de favores. É necessário reconhecermos nossa responsabilidade na escolha dos nossos representantes. A apatia política e a demonização cega aos políticos resultará na continuidade desse deletério estado de coisas. 

A participação no debate político, a busca por informações sobre os candidatos, suas ideias e os interesses que dizem defender, são tarefas inafastáveis ao eleitor responsável e ciente dos seus deveres de cidadão. Uma sociedade justa e igualitária se faz com políticos sérios e comprometidos com os interesses coletivos. Mas a escolha de políticos imbuídos desses ideais é também responsabilidade dos eleitores. Vote consciente!

Texto: José Sérgio da Silva Cristóvam
Conselheiro Estadual da OAB Santa Catarina

SOBRE A CAMPANHA

A campanha multimídia Vote Consciente é uma iniciativa liderada pelo Diário Catarinense e pela OAB Santa Catarina, com a adesão dos demais veículos da RBS no Estado, e que tem o objetivo de alertar o eleitor catarinense sobre o papel decisivo de cada um na decisão que sai das urnas.

Com a proximidade de mais uma eleição municipal, em 2 de outubro deste ano, a campanha bate forte na tecla da responsabilização do eleitor, convocando todos os cidadãos a refletirem sobre a maneira como encaram a política em suas cidades, no Estado e no país.

Participe usando #voteconsciente
Saiba mais em diariocatarinense.com.br/voteconsciente

 Veja também
 
 Comente essa história