A exemplo de todas as questões que são complexas, a onda de violência registrada em Santa Catarina não tem solução simples. Por isso, os veículos da NSC Comunicação priorizaram ontem – em uma iniciativa que chamamos de Dia S – a publicação de informações, análises e opiniões relevantes e atualizadas sobre segurança pública. O objetivo é contribuir para que governantes e sociedade debatam e encontrem novos caminhos para combater, de forma conjunta, a criminalidade no Estado.

Como parte do Dia S, nossos jornalistas especialistas no tema fizeram entrevistas em profundidade com autoridades de cinco instituições que têm relação direta com a segurança pública. Esses conteúdos também estão sendo publicados pelos veículos da NSC Comunicação para que a sociedade catarinense tome conhecimento das ações em andamento e dos compromissos assumidos – e também saiba como contribuir.

Ao dedicar amplo espaço de suas agendas para conversar sobre o tema, os representantes da Secretaria de Segurança Pública, da Secretaria de Justiça e Cidadania, do Ministério Público Estadual, do Tribunal de Justiça e do Fórum Parlamentar Catarinense demonstram estar imbuídos do papel de protagonistas que têm na liderança das ações para interromper o avanço da criminalidade. Essa consciência é o primeiro passo para a solução.

O segundo passo também já está dado. É o diagnóstico feito por todas as instituições de que o ponto de partida do problema está no consumo desenfreado de drogas, que cria uma sangrenta disputa entre facções criminosas pelos pontos de tráfico e alimenta uma enorme cadeia de outros crimes. Portanto, sabe-se o que e onde atacar. 

O terceiro passo é buscar maior convergência entre as forças ligadas à segurança pública – e nas entrevistas de ontem, as lideranças manifestaram entendimento de que só vencerão essa batalha se trabalharem em parceria.

E o passo decisivo é todas as instituições públicas executarem com disciplina e excelência as ações planejadas e os compromissos assumidos, de forma conjunta entre elas e com o envolvimento da sociedade. Afinal, segurança é problema de todos. Mas, naturalmente, com gestão e articulação dos governantes da área.

 Veja também
 
 Comente essa história